Yoga para ansiedade

A ansiedade está diretamente ligada a uma conexão disfuncional entre a nossa mente e os acontecimentos que estão à volta dela. É algo relacionado ao controle do medo e da sensação de ameaça. Quem sofre com o transtorno pode ter diversos sintomas, dentre os quais se destacam a taquicardia, suor excessivo, respiração descompassada e falta de concentração.

Os sinais da ansiedade têm a ver com nosso estilo de vida, que normalmente deixa de lado o “olhar para dentro” e o autocuidado em prol da rapidez e da eficiência cobrada pelas diversas esferas presentes em nosso cotidiano. Sendo assim, uma prática que fará com que nos deixemos mergulhar em nós mesmos é algo que se mostra efetivo.

Com a prática do yoga, é possível modificar a maneira como lidamos com essas emoções e, além disso, começar a controlar a respiração com mais tranquilidade, aquietando a mente e todo o corpo.

Essa consciência elevada faz com que se tenha mais cuidado e prazer com tudo, incluindo a alimentação. As escolhas são feitas com mais calma e análise, por meio de reflexões mais profundas sobre quem somos e porque queremos aquilo, sempre priorizando nosso próprio bem estar.

É importante pensar que a mente segue o ritmo da respiração, então, ao controlar a entrada e saída de ar de seu corpo por meio do Pranayama e dos ásanas, o praticante passa a ter também mais facilidade para domar os pensamentos e se fazer mais presente no agora — o que é muito importante, já que na maioria das vezes a ansiedade perturba nossa mente nos fazendo pensar no que já aconteceu, ainda vai acontecer ou talvez nem aconteça.

 

Yoga para estresse

Sendo uma prática tão tranquila e calma, os benefícios para a redução do estresse são evidentes até mesmo ao ver como tudo funciona. De fato, controlar a respiração e ter alguns períodos para focar somente em você, entendendo o que acontece com suas emoções e se conhecendo, é excelente para acalmar os ânimos e reduzir os sintomas de uma vida estressante.

Entretanto, existem também os benefícios químicos, como no caso da depressão. Aqui, essa questão fica por conta da diminuição do cortisol, que ocorre quando você se concentra em reduzir os pensamentos que geram o estresse, mais negativos.

O yoga fará com que você avalie melhor os detalhes de cada momento, respire, medite e tente chegar a soluções sem impulsos e explosões de raiva que podem, na verdade, dificultar a clareza dos seus pensamentos.

Aprender a estar mais presente naquele lugar, naquele momento, amplia sua concentração e faz com que, antes de agir, você saiba como lidar com a questão. Há menos dispersão, e o foco é maior.

 

Redução da fadiga mental

Um dos maiores problemas quando falamos de estresse é o burnout, que pode surgir em situações nas quais o trabalho realmente nos desestabiliza e torna impossível viver de maneira plena. Casos como esse acabam por gerar um esgotamento excessivo, uma fadiga mental que nos faz perder completamente a paz e resolver desistir em muitos momentos.

Tanto a prática física das posições do yoga quanto a própria parte de respiração e meditação farão com que você tenha não só mais força para lidar com os desafios do dia, mas também a possibilidade de vislumbrar um futuro (ou até o momento atual) que case mais com seus objetivos.

É possível controlar a mente e tentar trabalhar para que a fadiga seja controlada. Antes que ocorra o esgotamento psicológico, o praticamente pode encontrar quais técnicas funcionam para que a situação torne-se mais estável e ele possa continuar seu dia de trabalho com menos dores de cabeça e estresse.

Isso sem falar na redução da tensão muscular, típica de casos de estresse severo, que também ocorre devido à prática física do yoga. Com menos dores, há menos fadiga mental e, claro, também em relação ao corpo.

Fonte: https://www.vittude.com/blog/yoga-saude-mental/

 

Se aprofunde nesse universo de possibilidades. Venha RESPIRAR junto com a gente!

Faça uma aula experimental. Envie um e-mail para mkt@cafeyoga.com.br