“A vida que eu levo é a vida escrita por mim”

– Leandro Karnal

Em seu livro Propósito”, Sri Prem Baba afirma que “precisamos nos abrir para a verdade de que somos seres espirituais vivendo uma experiência material na Terra (…)”. Nesta afirmação estão presentes três elementos:

. de onde viemos (a nossa origem — somos seres espirituais);

. o que viemos fazer aqui (vivendo uma experiência material na Terra);

. e uma suposição de para onde vamos (se somos seres espirituais, um dia — talvez — voltaremos para o nosso ponto de origem).

Mas o que significa ser um ser espiritual?

Significa que somos feitos de amor e que as duas missões principais durante a nossa existência é amar e expandir a nossa consciência. Acessar ou alcançar estes dois estados demanda uma determinação individual em busca de conhecer a si mesmo. Autoconhecimento é o ponto de partida para uma jornada dentro do mundo interno, mas que nunca acaba.

Quem sou eu? De onde eu vim? O que vim fazer aqui? Apesar de parecerem indagações um pouco “viajadas”, a nossa consciência começa a se modificar de tal forma que é impossível continuar com a mesma visão de mundo a partir do momento que nos movimentamos em direção a possíveis respostas.

“Uma mente que se abre a uma nova ideia, jamais retorna ao seu tamanho original”.

Albert Einstein

Durante o nosso crescimento somos estimulados ou ensinados a ‘olhar para fora’, a buscar o que nos falta no externo: a grama do vizinho, as comparações, os bens materiais, a riqueza, etc. e isso acaba dificultando o ‘olhar para dentro’ e a acessar o que já está no interno. Quando transpomos este muro, os tijolos rígidos e padronizados que foram depositados ao longo do tempo começam a não fazer sentido e é aí que descobrimos que somos seres de infinitas possibilidades e capacidades de realização. Se você tirar tudo o que você tem sido, tudo o que você tem feito ou tudo o que você tem estado, restará um ser humano multipotencial com vários caminhos possíveis à total disposição do ser e não há necessidade de se limitar a isso ou àquilo.

Prem Baba também diz “que nós todos temos uma missão comum” que é a expansão de nossa consciência e o amor. É preciso desmistificar a premissa de que propósito é somente criar algo revolucionário ou ter uma ideia brilhante que irá impactar muitas pessoas. Se você se conhece a tal ponto e chegou a conclusão de que seu propósito seja este, ótimo! No entanto, o ‘propósito raíz’ de todo ser humano é expandir a sua consciência e amar.

E o que isso significa?

Isso significa despertar o ser espiritual que se encontra adormecido dentro de cada um de nós, trazendo à luz coisas do espírito. A explosão de realização culmina quando o ser e o fazer se alinham de tal forma possibilitando a entrega e devoção por uma ‘causa’ maior. Pensar que somos parte de algo que transcende a nós mesmos e de que forma podemos servir os outros também pode ser a chave para ‘solucionar’ o incômodo de não saber o motivo pelo qual estamos aqui.

Em geral, despertamos para a vida e para as coisas do espírito somente após passarmos por situações em que a vida (nossa ou de alguém muito próximo) é colocada em risco. Será que, hoje, você está em uma posição de passividade deixando a sua existência escoar diante dos seus olhos e aguardando o dia em que este aviso chegue?

Fonte: https://pedronfgama.medium.com/um-pouco-sobre-autoconhecimento-espiritualidade-e-prop%C3%B3sito-fede281672fc

 

Se aprofunde nesse universo de possibilidades, envie um e-mail para mkt@cafeyoga.com.br