“O que é Sadhana?

É uma oração comprometida. É um autoenriquecimento. Não é algo que é feito para agradar a alguém ou para ganhar alguma coisa. Sadhana é um processo pessoal no qual você acessa o seu melhor. “ -Yogi Bhajan

É muito comum ouvir esta palavra, Sadhana, nos espaços e as aulas de Kundalini Yoga. Mas o que exatamente significa, e qual o propósito disso?

A palavra Sadhana significa autodisciplina – isso não deve ser compreendido pela ideia cultural de algo obrigatório, rígido ou forçado – mas sim no sentido de um treinamento para a mente. Tudo o que tira a mente do automático pode qualificar a sua consciência. A cada dia, a mente precisa ser limpa, polida, para que se tenha cada vez mais clareza sobre si e sobre a realidade. Por isso, a Sadhana é uma prática diária. Como tomar banho, ou colocar o lixo para fora.

Uma Sadhana pode ser qualquer prática meditativa do Kundalini Yoga, ou um Kriya completo, ou mesmo uma postura ou exercício respiratório (pranayama). Recomendamos, de início, eleger uma prática simples, de tempo reduzido, e ir ampliando a medida que a sua experiência evolui, orgânica e naturalmente. De nada adianta escolher uma longa Sadhana que não se adequa ao seu tempo diário disponível, ou mesmo à sua experiência prévia. Esse seria um convite do ego, que acaba frustrando a pessoa que tenta “dar um passo maior que a perna”. A sadhana, portanto, deve ser disfrutada antes na qualidade da experiência, que na quantidade de tempo. O que realmente torna sua prática perfeita é conexão que você constrói, sobretudo em mente e coração, com ela.

Sustentar uma sadhana não é uma experiência prazerosa todos os dias. Há momentos de cansaço, de agitação, de desânimo; todas as emoções e enxurrada de pensamentos possíveis. Mas aí mora a grande cura: quando uma sadhana é sustentada, diante desse(s) confronto(s), você ganha calibre. Você conquista, a cada dia, a sua mente. Gurudev, eminente Professor de Sat Nam Rasayan, relaciona a sadhana a uma relação duradoura, como um casamento: muitas vezes é desafiante, há momentos conflituosos e difíceis, mas ainda assim, você resiste e atravessa essas dificuldades – se isso faz sentido, se há um propósito. A sadhana precisa ter um significado pessoal, um propósito interno, que lhe encoraje a seguir em frente, passo a passo, todos os dias.

O horário ideal para a Sadhana é logo cedo, antes de enfrentar o dia: entre as 5h e as 7h da manhã.  Meditar nesse horário proporciona grande limpeza do subconsciente dada à sua estimulação da glândula pineal pela luz do sol, em perfeita inclinação em relação à Terra. Esse estimulo glandular é como um néctar para a consciência, por isso o horário do amanhecer é chamado Amrit Vela, horário do néctar. Esse é o ideal, mas sim, você pode realizar sua sadhana em outro horário se precisar, o primordial é fazer todo dia!

Existem inúmeras práticas do Kundalini Yoga que são verdadeiras pérolas para o autoaperfeiçoamento, e quando parecer difícil escolher uma delas como Sadhana, você pode sempre se lembrar de: 1) contar com seu Professor, que está ali para apoiar você a lidar com o confronto e o conforto da sua experiência; 2) lembrar-se que os benefícios das práticas se estendem como os galhos de uma árvore, conectando-se em algum algum ponto, em alguma instância, para servir ao seu ser original, sua vastidão e Verdadeira Identidade. O importante é realizar a Sadhana, assim você estará nutrindo a raiz.

 

“(…) Aquele que faz sadhana constrói para si mesmo tal personalidade poderosa,

que pode conquistar qualquer coisa! Essa é a razão pela qual faço a minha própria Sadhana.

Eu a tenho feito por anos. Eu a faço mesmo agora.

Algumas pessoas me perguntam: ‘Você é um Mestre, por que faz Sadhana?’

Eu digo, ‘para permanecer um Mestre’”

– Yogi Bhajan

 

Yogi Bhajan nos apresenta uma relação dos tempos de prática e seus impactos no comportamento humano (hábitos mentais ou emocionais):

40 dias: você muda um hábito.

90 dias: você confirma um hábito (não apresenta mais oscilação).

120 dias: o novo hábito torna-se o que você é.

1.000 dias: você ganha maestria sobre esse hábito.

No tempo de 40 dias de prática, a meditação estimula o seu subconsciente para liberar todos os pensamentos e padrões emocionais que o obstruem.

“Semearás um ato, e colherás um hábito.

Semearás um hábito, e colherás um caráter.

Semearás um caráter, e colherás um destino.”

– Charles Reade

Fonte: http://www.kundaliniyogaharrai.com.br/o-que-e-sadhana/

 

Quer saber mais? Venha fazer uma aula de Yoga com a gente!

CLIQUE AQUI E CONFIRA NOSSA GRADE DE AULAS:

http://planoscafeyoga.com.br/

Entre em contato com a gente pelo e-mail: contato@cafeyoga.com.br