Descritos pela Ayurveda e por demais literaturas de origem hindu, os Gunas são descritos muitas vezes como energias, outras como qualidades ou forças. Esse triângulo simultaneamente oposto e complementar é responsável por governar tanto o universo físico quando a personalidade e padrões de pensamento de cada indivíduo em seu dia-a-dia.

São os Gunas que originam nossos fracassos ou realizações, alegrias ou tristezas, saúde ou doença. A qualidade de nossas ações depende principalmente da ação deles, onde Sattva é a força criativa, a essência do que precisa ser concretizado; Tamas é a inércia, o obstáculo a ser superado; e Rajas é a energia ou poder pelo qual o obstáculo pode ser removido.

Em outras palavras, Sattva costuma ser frequentemente considerado como uma representação da pureza e da tranquilidade; Rajas, por sua vez, é referido como a ação, à violência e ao movimento. Tamas, por fim, consiste no princípio da solidez, da resistência, da inércia e também da imobilidade.

Assim como acontece com os três doshas, os Gunas estão presentes em tudo, mas um deles sempre predominará, seja em personalidades, fisiologias, e até elementos da natureza como a luz do Sol (Sattva), um vulcão em erupção (Rajas) e um bloco de pedra (Tamas).

Em termos da mente humana, ao longo do dia sempre haverá Gunas em relacionamentos que estão em constante mudança. Veja como reagem as pessoas com cada um dos Gunas em dominância.

SATTVA

Aquele que tem Sattva como Guna predominante costuma ter momentos de inspiração, outros de uma tranquila sensação de alegria, mas também de um afeto mais desinteressado pelo próximo e de calma quase que meditativa. São conhecidos como indivíduos dotados de consciência interior, unificados em mente e coração. Eles são sempre tendenciosos a ver o lado bom de tudo, e olhar a vida como uma bela experiência de aprendizagem.

Sattva em sua essência representa características como a luz, a pureza, o conhecimento, a satisfação, a bondade, a compaixão, a inteligência e a cooperação para com o outro. Pessoas que possuem Sattva como predominância em suas personalidades, ou está vivenciando uma disposição de ânimo que podem ser identificadas a partir de uma série de características:

  • Coragem;
  • Integridade;
  • Capacidade do perdão;
  • Ausência de paixão, de raiva ou ciúme;
  • Calma;
  • Cuidam de si e de seus corpos;
  • Atenciosos;
  • Equilíbrio;

Quanto Sattva se encontra em seu estado de dominância, o indivíduo é capaz de vivenciar uma mente firme e impenetrável. Esse equilíbrio e foco pode ajuda-lo tanto a tomar determinadas decisões, dar o primeiro passo rumo a uma ação, ou simplesmente se concentrar em processos de meditação.

Para os que necessitam de mais Sattva em seu dia a dia, podem adotar práticas como o cultivo espiritual, técnicas de yoga, meditação, cânticos, mantras, dietas e um estilo de vida sattvíco. Passe mais tempo em contato com a natureza e viva a vida em harmonia. Sua representação é dada pelo deus hindu Vishnu, responsável pela manutenção do universo.

RAJAS

Ao contrário das mentes sattvícas, a pessoa que possui o Rajas como dominante nunca está em paz. Com constantes explosões de raiva e desejos arrebatadores, um Rajas intenso torna o indivíduo descontente e inquieto; sem conseguir se sentar ou permanecer tranquilo, ele precisa sempre estar fazendo algo, não importa o que. Seus desejos precisam ser realizados, de uma maneira ou outra. Caso contrário, sua vida se tornará deplorável.

Muito apegado ao poder e aos bens materiais, é bastante fácil identificar pessoas que tenham Rajas em predominância em suas personalidades ou estados mentais afinal, apesar da boa energia, eles tendem a atividades excessivas, a impaciência, inconsistência em suas abordagens e costumam culpar os outros pelos problemas que acometem suas vidas. Além desses fatores, destacam-se também:

  • Desejo insaciável sobre todos os aspectos (quanto mais tem, mais quer);
  • Pensamentos perturbados;
  • Raiva;
  • Ego;
  • Ganância;
  • Luxúria;
  • Inveja;
  • Distração ou turbulência da mente.

Para que seja bem aproveitado, esse Guna deve estar sempre em equilíbrio com Sattva. Essa união promove uma expressão positiva, responsável por atividades criativas e construtivas, o que é capaz de gerar energia e entusiasmo para concretiza-las.

Diante de um Rajas intenso, a capacidade de conhecimento do indivíduo é encoberta e, sob a pressão desse Guna, o indivíduo é atacado através de seus sentidos, da mente e do entendimento, tornando-se iludido. Para apaziguar essa condição, é necessário o equilíbrio com Sattva. Rajas é representado pelo deus Brahma, a força criadora ativa no universo.

TAMAS

Chegando ao terceiro dos Gunas, Tamas é caracterizado por uma mente fora de foco, sempre desatenta e monótona, dominada por forças inconscientes. Pessoas tamásicas tendem a estar bloqueadas ou com emoções estagnadas. Muitas vezes também são acometidas por maus hábitos, inclusive vícios e outros, tornando-se incapazes de questionar essa condição.

Considerado um verdadeiro atoleiro mental, Tamas é a condição presente sempre que Sattva e Rajas deixam de atuar. Dentre outras características, indivíduos de Tamas apresentam sintomas como:

  • Tristeza;
  • Letargia;
  • Torpor;
  • Medo;
  • Ignorância;
  • Obstinação;
  • Desespero forte e profundo;
  • Tendências suicidas;
  • Violência;
  • Escuridão;
  • Desamparo;
  • Confusão;
  • Resistência;
  • Incapacidade de ação.

Além desses fatores, quando Tamas passa a dominar a mente do indivíduo, ela pode se tornar esquecida, sonolenta, apática e incapaz de tomar qualquer atitude ou pensamento proveitoso e positivo.

A pessoa sob influência e dominação de Tamas pode se tornar mais parecida com um animal do que com um ser humano propriamente dito; existe a ausência de julgamento claro e o indivíduo pode ter dificuldades em discernir o certo do errado. Assim como um animal, passa-se a viver somente para si mesmo, podendo ferir o próximo para satisfazer seus desejos. Tomado e cego pela ignorância, é possível que também possa praticar ações perversas.

O Guna Tamas é representado pelo terceiro nome da trindade do hinduísmo, Shiva, conhecido como o deus destruidor (ou transformador), que destrói para dar início a algo novo.

Fonte: https://www.wemystic.com.br/artigos/3-gunas-ayurveda-sattva-rajas-tamas/

 

Quer saber mais? Venha fazer uma aula de Yoga com a gente!

CLIQUE AQUI E CONFIRA NOSSA GRADE DE AULAS:

http://planoscafeyoga.com.br/

Entre em contato com a gente pelo e-mail: contato@cafeyoga.com.br